segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pequenos gestos podem fazer a diferença..

Li esta história e apeteceu-me partilhá-la convosco.
(estava em inglês e traduzi para português, agradecem-me depois)


A história de Kyle.

Um dia, quando eu era caloiro no secundário, vi um rapaz da minha turma a caminho de casa, depois das aulas. O seu nome era Kyle. Parecia que ele estava a carregar consigo todos os livros das disciplinas. Eu pensei para mim: "Porque é que alguém se dá ao trabalho de levar todos os livros para casa a uma sexta-feira? Deve ser um verdadeiro nerd."

Eu tinha todo um fim de semana planeado (festas e jogos de futebol com os meus amigos), por isso encolhi os ombros e segui o meu caminho. Enquanto estava a caminhar, vi um grupo de rapazes a correrem na direção dele. Foram contra ele, derrubando-lhe todos os livros que tinha nos braços e tropeçando, caindo ao chão. Os seus óculos voaram-lhe da cara e vi-os aterrarem na relva a uns 5m de distância. Ele olhou para cima e eu vi uma tristeza terrivel nos seus olhos.

O meu coração desabou. Por isso, corri até ele, e enquanto ele gatinhava à procura dos óculos, vi uma lágrima a escorrer-lhe pela cara. Quando lhe entreguei os óculos, eu disse, "Aqueles gajos são uns idiotas. Eles deviam era arranjar uma vida.". Ele olhou para mim e disse, "Olá. Obrigado.". Tinha um enorme sorriso na cara. Um daqueles sorrisos que demonstra verdadeira gratidão.

Eu ajudei-o a apanhar os livros e perguntei-lhe onde é que vivia. Afinal, vivia perto de mim, e por isso perguntei-lhe porque é que nunca o tinha visto. Ele disse que tinha ido para uma escola privada. Eu nunca tinha andado com alguém que andasse numa escola privada, mas nós falámos o caminho todo até casa, e eu ajudei-o com os livros.

Ele era um rapaz muito fixe. Perguntei-lhe se ele queria ir jogar futebol com os meus amigos no sábado. Ele disse que sim.

Estivemos juntos o fim de semana todo, e quanto mais conhecia o Kyle, mais eu gostava dele. E os meus amigos pensavam o mesmo sobre ele. Na segunda-feira de manhã, lá estava de novo o Kyle com a enorme pilha de livros. Eu parei-o e disse, "Bem, vais mesmo ficar cheio de músculos a carregar esses livros, todos os dias!". Ele apenas sorriu e entregou-me metade dos livros.

Nos restantes 4 anos, eu e o Kyle ficámos os melhores amigos. Éramos finalistas e começamos a pensar nas universidades. Kyle decidiu ir para Georgetown, e eu ia para Duke. Eu sabia que iríamos ser sempre amigos e que a distância nunca iria ser um problema. Ele ia ser médico e eu ia para gestão através de uma bolsa de desporto.

O Kyle era o melhor aluno da nossa turma. Eu metia-me com ele por ser um nerd. Ele tinha que preparar um discurso para o final desse ano. Eu estava feliz por não ter que ser eu discursar.

No dia da formatura, vi o Kyle. Ele estava impecável. Ele era um daquele rapazes que se encontrava durante o secundário. Até ficava bem de óculos. Tinha mais encontros do que eu e todas as raparigas o adoravam. Às vezes tinha inveja. Hoje era um desses dias! Eu podia ver que ele estava nervoso com o discurso, por isso dei-lhe uma pancada nas costas e disse, "Hey, amigo, vais-te sair lindamente!". Ele olhou para mim com um daqueles seus olhares (de gratidão sincera) e sorriu. "Obrigado!", disse ele.

Antes de começar o seu discurso, aclarou a garganta, e começou: "A formatura é um daqueles momentos em que agradecemos a todos os que nos ajudaram durante estes anos duros. Aos teus pais, aos teus professores, aos teus colegas, talvez a um treinador - mas acima de tudo, aos teus amigos. Eu estou aqui para vos dizer a todos que ser amigo de alguém é o melhor presente que lhes podes dar. Eu vou-vos contar uma história.". Eu olhei incrédulo para ele enquanto ele contava a história do primeiro dia em que nos conhecemos. Ele tinha planeado suicidar-se naquele fim de semana. Ele falou de como tinha limpado o seu cacifo para que a sua mãe não tivesse que ir à escola fazê-lo. Ele olhou diretamente para mim e deu-me um pequeno sorriso. "Felizmente, eu fui salvo. O meu amigo salvou-me de fazer o impensável.".

Eu ouvi o murmúrio através da multidão, enquanto este rapaz lindo e popular nos contava o seu momento de maior fraqueza. Eu vi a sua mãe e o seu pai a olhar para mim e a sorrirem-me com o mesmo sorriso de gratidão que Kyle me tinha dado. Só nesse momento eu percebi todo o seu significado.

Nunca subestimem o poder das vossas atitudes. Com um pequenos gesto, podem mudar a vida de uma pessoa.

11 comentários:

  1. Raramente percebemos o imenso valor dos pequenos gestos! Mais grave ainda, por vezes, somos egoístas ao ponto de nem os praticar, sem saber da importância que podem ter na vida de outra pessoa!

    Já agora, obrigada pela tradução! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E às vezes só o facto de segurar a porta a alguém, pode transformar um dia por completo! :)

      (soube-me bem traduzir para praticar :) )

      Eliminar
  2. Lindo.
    Os pequenos gestos são os que mais diferença fazem.

    ResponderEliminar
  3. Gosto de acreditar que sim!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu, cada vez mais, sei que é mesmo isto.

      Eliminar
  4. Não te sabia lamechas :p

    ResponderEliminar
  5. E já valeu a pena o teu "gesto" de partilhares esta história, tão bonito :) Nem sempre temos disponibilidade para fazer esses pequenos gestos porque andamos tão ocupados com as nossas vidas e com os nossos problemas, mas um dia tudo muda e conseguimos ver as coisas com outra clareza e nitidez. Obrigada pela partilha :) Gostei muito.

    ResponderEliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!