sábado, 28 de setembro de 2013

Pela madrugada..

Sábado. Nove e pouco da manhã. Talvez ainda nem sejam nove. Entro em casa. Sorriso no rosto. Pensamentos perdidos algures pela noite anterior.
Fui ter com ela. A do sonho. Daquele sonho. Sem rosto e sem corpo. Apenas um pescoço, uns mamilos, uns lençóis.

Ela deixou-me entrar. Eu pedi para me sentar. Ela começou a falar. Eu perguntei se a podia beijar. No pescoço. Aquele pescoço que ja tinha beijado. Em sonhos. Naquele sonho. Ai, aquele sonho.

Provei-lhe o pescoço. Soube-me ao sonho. Sonhei ainda mais. Com outras coisas mais carnais. Quis conhecer-lhe os lençóis. Conheci-os. Senti-os de encontro à minha pele. Senti-a, a ela, de encontro à minha pele. Voltei a provar-lhe o pescoço. Soube-me a sonho e a desejo.

A noite passou.
Fui acordado por ela.
A chuva parou.
Beijei os lábios dela.

7 comentários:

  1. Não percebi, imaginação ou realidade? :)

    ResponderEliminar
  2. Realidade, cara Vicio, realidade.. :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. E de repente.... ninguém acredita no que tu escreves! Vá se lá saber...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não percebo... Ou então é sábado e ninguém vem aos blogs ao fim de semana.. :)

      Eliminar
  4. Fulminado por um relâmpago desta feita?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, já não há sol para me torrar a moleirinha, tem que ser um relâmpago a lixar-me o sistema.. ;)

      Eliminar
  5. Realidade ou não, gostei de ler. Mas é melhor se tiver sido real.

    ResponderEliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!