quarta-feira, 17 de junho de 2015

Stray Dogs - O melhor filme de todo o sempre e para sempre!

Stray Dogs (Cães Errantes, em português) é, muito provavelmente, o melhor filme de sempre e sê-lo-á para sempre. Do realizador Ming-liang Tsai, este filme vencedor de vários prémios, conta-nos a história de um pai alcoólico e os seus dois filhos, a tentar sobreviver na cidade de Taipei, que se cruzam com uma senhora, que vive sozinha e que trabalha no supermercado, que poderá mudar as suas vidas. Um drama daqueles bem pesados e que nos deixa a pensar na vida.

Mas acaba por ser a forma como o filme é filmado que lhe confere este título de "melhor filme de sempre e para sempre". Para mim, claro. Rapidamente percebi que cada plano demorava bastante tempo, com os atores quase estáticos a olharem pensativos para um sitio qualquer. A determinado momento do filme, comecei a contar os minutos que cada um destes planos demorava.
Vou só relatar duas cenas.

A cena do repolho (8:30m)
O pai chega ao abrigo onde os filhos já dormem na cama improvisada de paletes e um colchão e uma rede mosquiteira a toda volta. No meio da cama está o repolho que a miúda tinha comprado 3 dias antes e que utilizaram para fazer uma boneca, com uma cara desenhada. O pai, bêbado, começa a olhar para o repolho e vê a cara desenhada. Usa a sua almofada para asfixiar o repolho. Esta parte dura 2:30m. Depois, arrependido, abraça o repolho. Volta a revoltar-se com o repolho e o que se segue são 5 minutos em que o vemos a comer o repolho. Quando está "saciado" e o repolho metade comido, metade destruído, chora durante 1 minuto.

5 minutos disto


A cena final (19:30m)
O pai e a mulher do supermercado entram numa divisória de um prédio abandonado e ficam a olhar para a parede do fundo que tem umas pedras desenhadas. O plano da câmara filma as caras dos atores a fixarem a parede. De vez em quando, o homem beberica de umas garrafas que trouxe consigo. Esta cena dura 12:30m. Depois, ainda no mesmo plano, vemos o homem a abraçar a mulher. O abraço durou até aos 14minutos. Muda de plano e ficamos a ver os atores de costas, virados para a parede com as pedras desenhadas. Quando muda o plano, ela sai da sala, demorando 30segundos. Ficamos, então, a ver o pai de costas, fixado na parede com as pedras desenhadas, durante 4minutos. Aos 18:30m da cena, o pai começa a sair da sala, pelo mesmo caminho que a mulher foi, demorando 30segundos. Os restantes 30 segundos, continuamos com o mesmo plano, vendo a sala vazia com a parede com as pedras desenhadas. O ecrã fica preto e o filme acaba.

12minutos e 30 segundos disto

1minutos e 30 segundos disto

5minutos disto



Nenhuma palavra foi proferida durante estas cenas e outras um pouco menos longas.
O filme tem 4 ou 5 cenas com diálogo, nunca muito longo.
Podiam adormecer durante algumas cenas que acordavam e ainda estava tudo na mesma.
Os planos eram fixos, a câmara não se movia (excepto uma vez).
O filme ganhou 13 prémios em Festivais de Cinema.
O filme tem 138minutos!

9 comentários:

  1. Este tipo de filme faz-me sentir burra, ou, no mínimo, uma pedra emocional. Consequentemente, abre-se em mim um julgamento de "isto é mais uma treta existencialista para pseudo-intelectuais", onde todos no fim dizem que entenderam tudo, muito bem, porque, certamente, são mais iluminados que os outros - que até é uma ideia que não coloco de parte, atenção.
    Contudo, quando perguntamos sobre o que é o filme, ninguém consegue dar uma resposta concreta e dizem coisas como "é sobre o estado que o ser humano atinge, quando não consegue ultrapassar a disfuncionalidade das suas ligações afectivas e sente-se condenado, e ao mesmo tempo dependente, da sua solidão".

    É praticamente como as pessoas que adoram arte abstracta e no meio de uma tela vermelha interpretam o que bem lhes apetece, porque, realisticamente, é só uma tela vermelha -.-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo sem teres visto o filme acertaste em cheio! Era mesmo isso que retratava o filme. A juntar a isso temos um gajo que come repolho na cama e uma gaja que gosta de olhar para paredes.
      E eu até percebi o filme, o gajo só não precisava perder 10minutos em cada plano.

      Eliminar
  2. Bem, eu provavelmente teria deixado de o ver ao fim de cinco minutos, mesmo que fosse no cinema...
    Quando vejo um filme, na maior parte das vezes, quero mesmo é adormecer os neurónios, portanto, quanto mais estúpido melhor...
    ...mas não sofro de insónias, por isso, filmes deste género fazem-me urticaria.

    Não digo que não seja uma obra prima, ou até tia,...
    ...eu é que não tenho mesmo pachorra!

    Basicamente este tipo de filmes não combina com a minha personalidade...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 50% das pessoas saíram antes do meio do filme.
      49% das pessoas ficaram até ao fim mas com vontade de sair.
      1% das pessoas gostaram mesmo do filme. (eu)

      Eu não me importo de ver filmes que me deixem a pensar, às vezes até se realmente os entendi totalmente, mas isto foi uma coisa nunca antes vista.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Vê, vê que vais adorar. Mas vê em casa, para poderes desistir sem teres de pedir licença para as outras pessoas se levantarem quando saires. :D

      Eliminar
  4. Pronto, agora vou ter de ver isto! Depois ajustamos contas, se não concordar contigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. I dare you, I double dare you!
      Mas se começares a ver, tens de ver até ao fim!

      Eliminar
  5. Chorei durante 3 anos depois de ver a cena do repolho. Dramático e saudável... Simplesmente brilhante

    ResponderEliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!