quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

As vantagens de ouvir mal...

Podia vir aqui falar de muita coisa, que podia. Dos Óscares e de como acertei em quase tudo o que é importante ganhar (exceção feita ao argumento adaptado, que nunca daria a "The Imitation Game"). Do Ultra de 50kms daqui a pouco mais de um mês e de como a preparação está a ser uma treta, agora que recomeçaram as aulas. Ou mesmo das aulas novas e de como estou a poucos meses de terminar a licenciatura. Mas não, não vou falar de nada disto. Vou falar das vantagens que se obtêm por se ouvir mal.

Uma, é a mais óbvia: temos sempre desculpa quando alguém que não nos interessa tenta meter conversa ou tornar a conversa cansativa, dizendo vezes sem conta, 'desculpa, não percebi'. Outra, descobri-a ontem. 

Gosto bastante de ir ao cinema. Sempre lá vou, tenho o hábito de tirar os aparelhos porque o som é alto o suficiente para que perceba. Ontem, não o fiz. O que ouvi foi muito mais do que um filme alto (vá, volume normal de cinema). Ouvi gente a comer pipocas em todos os lados, por todos os lados. Pessoas a mascarem de boca aberta. Pessoas a chocalharem pacotes de pipocas para tirarem as do fundo. Pessoas a sorverem bebidas. Conversas paralelas. Tudo! Ouvi tudo! Até o que não queria ouvir! A grande vantagem que aprendi ontem é que basta retirar os aparelhos e volto a estar numa sala civilizada.

Quanto ao filme e ao sitio onde o vi, a foto diz tudo.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!