terça-feira, 9 de setembro de 2014

Uma história de amor

Se isto não vos trouxer uma lágrima aos olhos, em vez de um coração, têm um bloco de gelo.

Em 1986, Pedro David estava numas férias no Quénia, depois de se ter licenciado. Numa caminhada pelo mato, deparou-se com um pequeno elefante, parado e com uma pata no ar. O elefante parecia em pânico, por isso, Pedro aproximou-se muito cautelosamente. Ajoelhou-se, inspecionou a pata do elefante e encontrou um grande pedaço de madeira bem espetado nela. Tão cuidadosa e gentilmente quanto foi capaz, Pedro trabalhou a madeira com a sua navalha, acabando por retirá-la, após o que o elefante pousou a pata.

O elefante virou-se para o homem com um olhar de curiosidade, fitando-o durante tensos minutos. Pedro estava congelado, a pensar apenas que ia ser espezinhado pelo animal. Mas o elefante barriu altíssimo, virou costas e foi embora. Pedro nunca esqueceu aquele elefante e o que tinha acontecido naquele dia.

Vinte anos depois, Pedro estava a passear pelo Zoo com o seu filho. Quando se aproximaram da zona dos elefantes, um dos animais virou-se e caminhou até onde Pedro e o seu filho estavam. O enorme elefante olhou para Pedro, levantando e pousando a sua pata dianteira. Fez isto algumas vezes e depois barriu bem alto, sempre a fixar o homem. Relembrando-se do encontro em 1986, Pedro não conseguia não pensar que aquele seria o mesmo elefante. Reunindo toda a sua coragem, Pedro subiu o gradeamento e saltou para dentro do recinto. Caminhou até ao animal e olhou para trás em suspense. O elefante barriu novamente, enrolou a tromba numa das pernas de Pedro e atirou-o contra o gradeamento, matando-o imediatamente. Provavelmente não era o mesmo elefante.

Isto é para todas aquelas pessoas que enchem o Facebook com histórias da treta sobre criancinhas e animais para nos reconfortar o coração.

5 comentários:

  1. Acabei de perceber que tenho um bloco de gelo em vez de coração...
    :p

    ResponderEliminar
  2. Já não me espanto com os teus inícios delicodoces...

    ResponderEliminar
  3. ao invés de verter uma lágrima, (ba)rri-me. serei um paquiderme?

    ResponderEliminar
  4. LOL
    Estou como A Chata, os teus inícios de texto já antevêem o final xD

    ResponderEliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!