segunda-feira, 9 de junho de 2014

Quatro corridas, uma maratona.

No sábado passado foi a última etapa do desafio Bes Run Challenge. O desafio consistia em correr a distância mítica da maratona (41.192Kms), mas em 4 corridas distintas, em 4 localidades distintas: Cascais, Sintra, Costa da Caparica e Lisboa. Posso dizer que foi um upgrade em relação ao desafio do ano passado, que apenas tinha 3 corridas (não tinha a Costa da Caparica). Sobre as provas em si e a organização, posso dizer, sem problema algum, que é das provas com melhor organização, com a melhor logistica e com o maior incentivo ao longo do periodo de espera entre as provas. E-mails a lembrarem-nos dos dias da corrida, a motivar para alcançar os objetivos, com as t-shirts, as surpresas, o passatempo que fizeram (fazer uma quadra para aparecer nos manjericos que estavam a oferecer no final da corrida de Lisboa), a ideia dos imans para o frigorifico e uma medalha final para quem correu as 4 provas, tudo isto coloca esta organização no top.

Sobre as minhas corridas e o que consegui alcançar. Ficou mais ou menos dentro do pretendido, tendo em conta que os treinos não foram tão regulares como deveriam ter sido, mas fiquei muito próximo do que almejei. A corrida de Cascais, a primeira, feita debaixo de chuva e vento intenso foi linda, sempre com o mar a fazer-nos companhia. Foram 12,192 kms que fiz em 59minutos. Acabei por me lesionar num pé, mas só senti as mazelas um ou dois dias depois. A segunda corrida, a de Sintra, é aquela tentativa de homicidio por parte da organização. Subir a serra é coisa para deixar qualquer um completamente de rastos. Eu, que não corria desde a de Cascais, tive que começar a andar ainda antes dos 4kms. É uma das provas mais duras, e até os atletas profissionais sentem dificuldades, piorando os seus tempos em 2 a 3 minutos. Fiz os 10kms em 1hora, o que, tendo em comparação a de Cascais, foi muito pior. A terceira, e novidade, foi a da Costa da Caparica. Uma prova feita debaixo de bastante calor e por caminhos quase de trial. Aqui, já tinha treinado um pouco antes da corrida, e, apesar das alergias ao pó e ao polén que me afetaram durante a prova, consegui terminar em 50minutos, o que, estando longe do meu melhor, era o que pretendia para a prova. A última prova, a de Lisboa, fiz um pouco acima do tempo que queira. Fiz os 10kms em 50minutos, mas queria ficar na casa dos 48. Não o consegui porque a partir dos 5kms comecei a sentir uma dor na sola do pé, fruto de uma bolha enorme que se lembrou de dar o ar da sua graça. E acreditem ou não, uma bolha na sola do pé é coisa para doer a cada passo. Talvez esteja na altura de comprar uns sapatos novos, pois a verdade é que estes já levam mais de 1000kms em cima.

Ao contrário das 3 primeiras corridas, na de Lisboa levei companhia. É sempre diferente correr com alguém a puxar por nós e nós a puxar pela outra pessoa. A pessoa tem outro ânimo, não desiste à primeira dificuldade e, muitas vezes, acabamos por bater os nossos recordes pessoais. O que aconteceu com a pessoa que foi comigo.

Agora que já corri a distância da maratona, mas repartida em 4 partes, resta-me fazer a maratona toda de uma vez. Se tudo correr bem, será já dia 5 de Outubro! Pode ser que consiga o mesmo tempo que o combinado destas 4!



2 comentários:

  1. Tiveste um excelente desempenho! E sim concordo contigo, correr com companhia é outro incentivo! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podia ter sido melhor, mas parecendo que não, a dor levou-me a melhor e não a consegui mesmo ignorar. :(
      Sim, acompanhado é diferente. Quando vou sozinho, a minha tática é ver alguém ao longe e tentar ultrapassá-la. Sempre assim até à meta :)

      Eliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!