quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pior do que falecer

Acho que, finalmente, o Ricardo Araújo Pereira, acertou em cheio no nome do seu novo programa.
É que falecer é mau, é chato, é uma coisa que entristece a vida das outras pessoas. Acima de tudo, é uma coisa que não tem piada nenhuma. E é por isto que o programa acerta em cheio no titulo. O programa - ou mini-programa, ou mesmo nano-programa - é mauzito, é chatito, entristece-nos e, acima de tudo, não tem piadinha nenhuma. Em suma, é, de facto, pior do que falecer.

O RAP (como gostam de lhe chamar) tem de perceber que a sua imagem está gasta. A cara de deficiente atrasado mental, com os seus tiques, tanto ao nível da fala como dos gestos, são os mesmo que tinha quando apareceu pela primeira vez com os Gato Fedorento, em 2003. O humor tem uma particularidade que o RAP parece estar a ignorar: que a novidade é importantíssima e que muito tempo da mesma coisa, ali a martelar nos ouvidos e olhos das pessoas, deixa de ter piada.

Se formos ao Youtube re(re-re-re)ver os primeiros sketchs dos Gato Fedorento, ainda vamos rir que nem loucos, mesmo a saber o que vai ser dito, muitas vezes sabendo o texto do principio ao fim. Mas tem piada porque nos marcou pela novidade, pela inovação do humor (que, na maioria das vezes, acabava por ser um humor negro, infantil ou estúpido, mas que nos fazia rir às gargalhadas) e pelas caras novas. Funcionava, também, por serem aqueles quatro personagens que interagiam tão bem e que ninguém conhecia de lado algum.

Agora, passados mais de 10 anos, e depois das últimas temporadas dos Gato Fedorento, do Diz que é uma Espécie de Magazine, Zé Carlos, da Campanha ridicula para a MEO e da Mixórdia de Temáticas, aparece com um novo programa, mas que não traz novidade nenhuma ao humor. Inclusivamente, adapta situações de outros programa (Mixórdia) para este Pior do que Falecer. Agora, passados mais de 10 anos, as expressões são as mesmas, os comportamentos são os mesmos, as personagens são as mesmas, as piadas são as mesmas, mas, agora, sem nos fazerem rir.

Eu sei que ganhar 600€ por minuto com um programa diário que dura cerca de 5 minutos é bom - aliás, é muito bom -, mas também acho que lhe falta humildade para perceber que, talvez, esteja na altura de fazer uma pequena pausa, antes que a sua imagem fique, definitivamente, associada a um humor básico, repetitivo e, pior do que tudo, sem humor.









12 comentários:

  1. Ámen! Dasse... finalmente alguém com juizo a falar do "RAP" :O Obrigado, Sr. Mustache. MUITO OBRIGADO xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada. :)
      Tudo o que é demais, cansa.
      E a imagem dele está cansada, cansada, cansadinha....

      Eliminar
  2. Gosto dele. Mas vi os 3 episódios e foram fraquinhos que doíam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma coisa é gostar-se dele, outra é achar piada a todo o cocó que ele faz.
      Não lhe tiro mérito pelo que fez, mas atualmente está mesmo fraquinho..

      Eliminar
  3. Honestamente, sou das poucas pessoas que nunca achou particular piada aos gato, e que por arrasto não percebe o furor todo em torno do "RAP". Tem saídas engraçadas de vez em quando, mas acho que anda a fazer render a mesma sardinha requentada há já algum tempo.
    É até aparecer outro qualquer com o qual o público engrace... uma espécie de ciclo.
    Sempre que digo isto ou refiro alguns dos pontos que disseste acima, as pessoas olham para mim como se dissesse que ia grelhar recém nascidos para o jantar. Não podia concordar mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As primeiras duas temporadas dos Gato Fedorento foram muito boas. Ainda não se tinham vendido e eram originais. Depois com os contratos televisivos, veio a comercialização do amor e deles próprios. A partir daí, foi sempre a descer..

      Eliminar
  4. Vi só o primeiro programa e não me convenceu... Agora a "série Fonseca" será sempre um marco do humor e continua a fazer-me rir ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredita que não tens perdido nada de nada..

      Sim, a série Fonseca está qualquer coisa de muito bom! :)

      Eliminar
  5. Ainda não vi este novo programa, portanto não opino. Mas, na generalidade, gosto do RAP, sobretudo na fase inicial dos Gato Fedorento. Também gosto de algumas Mixórdias. Mas onde actualmente gosto de o ver é no Governo Sombra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a fase inicial dos gato foi muito boa. ninguém o pode negar. Mas agora é quase sempre mais do mesmo.
      Também já me disseram que no Governo Sombra vale a pena ouvi-lo.

      Eliminar
  6. Eu gostaca muito deles no inicio e depois deixei de lhes achar piada. No programa novo, os sketches das entrevistas fazem-me sempre rir.
    Ele não pode humor o humor porque ele é assim. é o género dele, mas eu entendo o que dizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dora, mas é sempre o mesmo... os mesmos tiques, os mesmos jeitos, as mesmas piadas. Está certo que possa ser o estilo de humor dele, mas tudo o que é demais, acaba por perder a piada. Ele que descanse e que volte quando as pessoas sentirem saudades.. :)

      Eliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!