terça-feira, 1 de outubro de 2013

Texto 3..

Esta noite aconteceu-me o que não me acontecia há muito tempo: sonhei.
Sei que sonho todas as noites, mas desta vez acordei e lembrei-me dele. E fiquei a sorrir a cada sensação e recordação que me aflorava à mente. Sonhei contigo.
O engraçado disto tudo é que nem sequer te conheço, nunca te vi, nunca te cheirei ou senti. Conheço-te apenas em palavras. Palavras que a cada troca me encantam um pouco mais. Encantamento que te trouxe até às teias da minha imaginação.

Dizem que sonhamos a preto e branco, mas neste meu sonho estávamos deitados nos teus lençóis, de seda, azuis, que nos embrulhavam ainda com mais força os nossos corpos já apertados dos abraços.
Sei que no sonho saltámos todos aqueles preliminares do café e da conversa de ocasião, que só nos roubam tempo àquilo que realmente queremos, e que te estava a beijar o pescoço. Sim, o sonho começou com as minhas mãos a afastarem-te o cabelo loiro do teu pescoço, deixando-o exposto, à mercê dos meus lábios. E beijei-to, delicadamente, pausadamente, como, sem o saber, eu sei que gostas.
A cada beijo soltavas um suspiro e a tua pele ficava mais arrepiada. De cada vez que a minha língua to percorria, os teus mamilos ficavam mais duros. Beijei-te os lábios, trinquei-tos, usei a minha língua para massajar a tua. Pele com pele, as nossas mãos começaram a explorar. Pele com pele, os nossos corpos começaram a dançar. Dançámos a vários ritmos, a várias cadências. Dançámos do sensual tango à sexual kizomba. Dançámos do elétrico samba à inebriante valsa. Dançámos do amor ao sexo. Dançámos o sexo com amor.

Curioso é que não te conheço um rosto, não te conheço um olhar, não te conheço um sorriso... No entanto, esta noite, conheci-te um corpo, desejei-o e possuí-o. Corpo, esse, que se deu a conhecer, que se sentiu desejado e que se deixou possuir com complacência
Ao acordar, fiquei na minha cama a olhar pela janela e para o dia que nascia, com um sorriso nos lábios. Ainda sentia neles os beijos que nunca te dei, talvez, os beijos que nunca te darei.

Mas esta noite sonhei. Contigo. E, esta manhã, lembrei-me de como é bom recordar um sonho.

9 comentários:

  1. O teu sonho passa logo um monte de passos à frente! É um texto bonito! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É para não perder tempo! :D

      Obrigado. :)

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Se calhar gosta de Saramago.

      Eliminar
    2. Never, sabes que não a posso dizer aqui..

      AS, a pontuação é a do juri e não a ortográfica.. :p

      Eliminar
  3. Agora sim, de facto, um belo sonho :p

    ResponderEliminar
  4. Não queres dar aulas de expressão escrita?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahaha
      Estás disposta a pagar ou nem por isso? :)

      Eliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!