quarta-feira, 10 de abril de 2013

Odeio hipermercados - Parte II

Como já é do conhecimento de toda a gente, ou de muita, ou só daqueles que ainda perdem tempo a ler as coisas que eu para aqui escrevo, ir às compras ao hipermercado, é das coisas que mais abomino na vida! Basicamente porque não suporto a maioria dos comportamentos das pessoas que por lá andam. Mas ao fim de uma semana a adiar a ida, tornou-se imperativo lá ir por este motivo..


E lá fui eu, já a pensar no sofrimento que iria passar. E mais uma vez não foi uma experiência agradável. Cheguei mesmo a duas conclusões:

1- Os homens não foram feitos para irem às compras sozinhos.
2- Comprar papel higiénico é das coisas mais humillhantes que se pode fazer na vida.

Como fui às compras depois de acabarem as aulas, obviamente que me esqueci de fazer uma lista das coisas que precisava comprar, à exceção do que está na foto. Ora, assim que agarrei no cesto e meti a mão ao bolso à procura da lista inexistente, o meu pequeno cérebro de ervilha, bloqueou automaticamente,. E em boa verdade, foi uma sorte ainda saber como andar. E assim arranquei, sem o minimo sentido de orientação e sem saber onde me dirigir, para comprar as coisas. Se eu, com o cérebro a funcionar normalmente, já tenho dificuldade em fazer mais do que uma coisa ao mesmo tempo, com o cérebro a atrofiar, pensar no que me fazia falta, tentar descobrir onde estão, andar e carregar o cesto, estava-se a tornar uma tarefa herculeana! E foi por isso que decidi que o melhor, antes de chegar ao ponto de me deitar no chão a um canto e a chorar, seria deixar-me andar à deriva pelos corredores e ir metendo para o cesto as coisas à medida que as fosse encontrando. Isto deu-me oportunidade de fazer uma das coisas que mais gosto na vida: observar os que me rodeiam!

E foi assim que cheguei à minha primeira conclusão brilhante. Tal como eu, havia por lá muitos homens às compras, sozinhos! E tal como eu, andavam à deriva. Ora a olharem desesperados para as listas e para as prateleiras, ora agarrados aos telemóveis a ligarem às respectivas namoradas ou às mães, para saberem qual a marca que querem, porque só a palavra shampo na lista não ajuda nada! Já as mulheres que por lá andavam, tinham um comprtamento totalmente diferente. Sem querer ofender, parecem autênticas cobras a serpentearem entre carrinhos, pessoas e corredores, tudo isto a uma velocidade alucinante e sem se enganarem no caminho e no que precisam. Os únicos homens que lá vi felizes da vida, eram aqueles que estavam acompanhados por uma mulher, e apenas se limitavam a empurrar o carrinho, enquanto mexiam no telemovel e diziam "sim querida, pode ser esse.". Os homens pura e simplesmente, não foram talhados para certas tarefas, e ir às compras é uma delas. E não me venham cá com histórias da carochinha, porque as mulheres também não sabem trocar um pneu e até para mudar uma lâmpada pedem ajuda ao homem!

A outra conclusão tem a ver com papel higiénico. E porque é que isto me causa transtorno? Primeiro descobri que existe papel higiénico de papel reciclado!! Papel reciclado!!! Mas de qual? De papel higiénico já usado ou de outra fonte qualquer? Este pensamento e dúvida, causam-me comichão! Daquela dificil de passar.. Depois as embalagens são enormes, tudo com 36 rolos ou mais! E um gajo que viva sozinho, nem precisa de comprar assim tantos de uma vez! E aquilo não se pode fazer como no leite, em que tiro apenas os pacotes que quero levar. Não, tenho que levar a embalagem toda! Embalagem que é tão grande que nem sequer cabe dentro do saco, e temos que levar aquilo à vista de toda a gente, e que só por si, nos tira toda e qualquer tipo de masculinidade! E isto a mim, cria-me problemas a nivel de gajas! Quado acabei as compras e estava a caminho de casa, tavam umas gajas mesmo boas sentadas à conversa, ali na fonte entre o Continente e a Worten, no Colombo, e assim que me viram ao longe, começaram logo aos segredinhos e a olharem, e dava para perceber o desejo sexual estampado na cara delas. Mas quanto mais eu me aproximava delas, maior era a expressão de desilusão nas suas caras a cada rolo que contavam. E quando passei mesmo ao lado delas, consegui sentir a repulsa ao olharem para mim! Por isto é que acho que devia haver um espaço especial nos hipermercados, só para se tratar da compra do papel higiénico e depois seria entregue em nossa casa, numa embalagem descarecterizada, ou mesmo disfarçada de pornografia! É que as gajas de certeza que preferem um homem com uma libido activa, do que com uns intestinos activos.

E isto meus amigos e amigas, são mais alguns motivos porque odeio ir aos hipermercados.

4 comentários:

  1. Ehe ehe ehe... Até nem sei bem que comentar, pois ainda estou a conter-me da gargalhada por causa do papel reciclado. Sabes que também já me fiz essa pergunta? Mas nãããã... não podia ser. O povo não recicla papel com #2, pois não? :-P
    Quanto à vossa incapacidade nata para fazer compras, poupem-me: os homens sabem fazer tudo. Simplesmente entendem que não têm de... E pelos vistos é normal ligarem às respectivas enquanto lá andam. Eu fico f&%#$* quando o J. o faz. Por vezes nem atendo o telemóvel. Ele que procure. Já cheguei ao cúmulo de tirar fotos dos produtos cá em casa que estão prestes a acabar, para ele saber o que comprar. Pode???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vou ser o mais sincero possivel, e se calhar vais entender melhor o porquê da nossa, ou pelo menos da minha dificuldade nesta tarefa em especifico.
      Até aos meus 24 anos, quem me fazia tudo em casa era a minha mãe. Eu apenas tinha que me preocupar em dizer o que queria, ela trazia da loja, e eu ia buscar ao armário quando me desse vontade. Das vezes que ia com ela, a minha função era a de empurrar o carrinho das compras. Nunca me preocupei com muita coisa básica de compras para mim ou para a casa. E mesmo quando vivi com uma namorada durante cerca de ano e meio, acontecia a mesma coisa, eu era o 'Iúri' e carregava, ela escolhia.
      Agora que estou sozinho, triste e abandonado, tenho que fazer isso tudo por mim. Sem ajudas, sem preparação e com muitos anos sem me preocupar com isso. A primeira vez que fui comprar detergente para a roupa, fiquei 15minutos a olhar apra as embalagens, a tentar descobrir a diferente entre apra roupas delicadas e roupas escuras, e roupas claras, e perfume duradouro, etc e tal. E cheguei a casa, meti a roupa a lavar, e quando a tirei de lá, tudo o que era malha, tinha diminuido 10 tamanhos!!
      Se calhar mais do que nós não querermos, é quase uma coisa cultural. As meninas vão com as mães às compras e dominam melhor essa tarefa, os meninos ficam com o pai na garagem e são eles que resolvem os problemas de conserto doméstico.
      Uma mulher também consegue mudar uma lampada, ou arranjar uma porta, ou furar uma parede com um berbequim. Consegue! Mas certamente terá mais dificuldade. O mesmo se passa com os homens, noutras tarefas! :D

      E sobre o papel higiénico reciclado, eu sei que não há ainda um ecoponto especifico para isso, mas se há divisão nas lixeiras dos vários materiais, acredito que possamos mesmo a usar papel ja usado por outro alguem no #2.. :)

      Eliminar
    2. Wrong, completely wrong. Nunca fui às compras com a minha mãe, pois quem sempre foi às compras lá em casa foi o meu pai (também não ia com ele). Vocês dizem que as mulheres são complicadas. Mas tudo o que não tenha a ver com futebol, gajas, futebol, cerveja e futebol não vos interessa saber, e fazem logo um bicho de sete cabeças.

      Eliminar
    3. estou a generalizar um pouco (ou muito), mas se calhar a grande maioria dos casos é como eu disse..
      Futebol só me interessa o meu Sporting.. Cerveja não me interessa para nada porque sou alérgico.. Gajas, epá gajas já posso passar um bom bocado do meu dia a falar disso.
      De resto como ja disse num sitio qualquer, nas lides da casa, sou um autentico 'fado do lar'.. desde o arrumar da casa a cozinhar passando pelos consertos que forem precisos! :)

      Eliminar

Não é por nada, nem quero influenciar ninguém, mas diz que quem comentar neste blog, é uma pessoa espetacularmente espetacular!